sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Minha 2° Fiv

Vim contar minha experiência em fazer fiv longe de casa.
Depois da primeira fiv em minha cidade, fazendo um resumão, tive 3 blastos, transferi 2 congelados, beta positivo e regrediu, o último embrião transferido o teste de farmácia positivou e tbm regrediu. Voltamos no médico e fizemos todos os questionamentos e ele me disse que não tenho nada p/ pesquisar e era só tentar novamente. Fomos na clínica concorrente e tivemos a mesma opinião.
Me senti muito frustrada pq queria respostas, falta de sorte pra mim não é o suficiente.
Início desse ano criei um grupo no whats de mulheres tentantes da minha cidade, recebi uma indicação de uma médica de outro estado,  trocamos alguns emails, pediu alguns exames e partiu correr atrás do sonho.

Marquei a primeira consulta, comprei passagens e fui sozinha. Aconteceu alguns contratempos.
Perdi meu cartão de crédito, motorista desagradável do uber perguntou se eu tinha filhos e disse q já estava na hora, minha mãe liga p empresa atrás de mim (viagem segredo), turbulência na volta pra casa.. e por aí vai. Mas eu firme e forte não desanimei.

Iniciei o tratamento em abril, usei o primeiro medicamento em casa, enlova 150 pra dar aquele up nos óvulos e no 7°dia já estava na outra cidade fazendo as us.
Foram mais 9 dias de indução. Cheguei numa quarta sozinha e marido só pode ir no sábado, passei o maior trabalho p fazer as aplicações,  a medrosa aqui não consegue fazer sozinha e nem em ngm rsrs
Tive q sair todos os dias atrás de farmácia.. e depois trancada no quarto esperando os dias passarem.
Marido chegou no sábado aí ficou melhor, passeamos, conhecemos um pouco da cidade, passamos a maioria do tempo na rua.
Chegou o tão esperado dia da punção, era uma quinta feira, marcamos para as 9hs da manhã. Marido e eu fomos de carro, como não conhecíamos a cidade, inventamos de usar o bendito gps, nos levou p outro lado do mundo, eu fiquei desesperada, a médica me ligando, as recepcionistas da clínica me ligando, eu não sabia dizer onde tava, comecei a chorar de nervosa rsrs.. Concluindo, deixei o carro e o marido e acabei pegando um taxi e me levou p/ endereço correto. Cheguei na clínica umas 10hs, chorando,  a equipe toda me esperando,  a anestesia não pegava, a médica já estava iniciando os procedimentos comigo acordada pra adiantar por causa do horário.. que sufoco!
Finalizou, acordei ainda meio atordoada, fomos pra casa, sensação muito ruim de enjôo, desmaio, não conseguia levantar da cama. Talvez tenha sido pq como estava muito nervosa e a anestesia não pegava, foi necessário usar uma dosagem maior, e o estômago vazio, foi um prato cheio.
Na sexta fui pra casa, não via a hora, mas não tinha acabado por aí. 
Foi a vez do sufoco pra saber quantos implantaram e a evolução.  Cada dia era uma tortura,  de todo procedimento essa foi a pior parte. No primeiro dia tinha 9 óvulos, segundo dia a dra disse que só 5 fertilizaram, eu questionei que eram poucos, então ela se corrigiu e disse que eram 6 fertilizados. No terceiro dia estavamos com os 5 lindamente se desenvolvendo,  por fim me restaram meus 3 blastocistos.
Não fiquei muito satisfeita com o resultado, esperava no mínimo uns 4, porém preciso apenas 1 e isso já é suficiente.
Então aqui estou eu aguardando apenas o momento certo, vou acompanhar o hormônio do tsh regular pra logo marcar o dia e buscar o meu lindão.
Os dias estão demorando uma eternidade pra passar, mas a paciência faz parte do pacote,  afinal o q é alguns dias pra quem esperou 6 anos? Quase nada né!

Por hoje é isso!
Bjss e ótimo fds

domingo, 13 de agosto de 2017

Dia dos pais

Mais um ano, mais uma data, mais um dia dos pais. O coração ta aqui apertadinho por ver tantas homenagens e comemorações e ainda não ter chego nossa vez.
Sou grata a Deus por ter meu paizinho e sogro pra parabenizar por esse dia, mas mesmo assim ainda é uma data incompleta :/

Essa semana fiquei chateada, esperei desde abril o mês de agosto chegar, contei os dias para iniciar o ciclo e finalmente buscar meus presentinhos, mas infelizmente ainda não deu!

No mês de abril fiz as induções na outra cidade, fui com o marido, ficamos lá por quase 2 semanas, longe de casa, escondido de nossas famílias, nosso tto é segredo e por várias questões decidimos não dividir com ngm. Talvez um dia eu conte, para servir de testemunho.
Voltamos pra casa, e deixamos congelados lá nossos 3 bebezinhos, com a esperança de voltar o mais breve possível.

Tivemos q aguardar alguns meses pra nos organizarmos financeiramente, dessa vez como foi em outra cidade,  tivemos o gasto dobrado, aconteceram algumas mudanças na nossa vida pessoal e decidimos que iniciaríamos o preparo da tec em agosto.

Esse mês iniciei com a medicação, marquei alguns exames hormonais e ficamos surpresos com o tsh baixíssimo 0,01, ou seja, tudo cancelado! Como fiquei triste, chorei tudo o que tinha, mas tive que aceitar que ainda não era a hora.

Dizem as mamães que a fase de tentante demora, mas depois que o bebê chega o tempo voa.. Até acredito q tudo passe mesmo muito rápido,  mas pra quem ta tentando ainda, só Deus sabe como cada dia do mês esperando iniciar ou finalizar um ciclo parece que é uma eternidade!!

Bom, então cá estamos nós aguardando ainda, esperando passar alguns dias e repetir o exame do tsh, regular o medicamento e aguardar um novo ciclo pra inciarmos o tratamento.

Bjss e até a próxima =)

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Desanimada!


Tem hora que tudo cansa.
Cansa esperar, cansa pedir, cansa sonhar, cansa planejar..
Não sou negativa, mas tem hora que dá vontade de por pra fora tudo que ta trancada aqui dentro.
Juro q não entendo o propósito de tudo isso, e duvido um dia entender.
Sabe aquele sentimento de que o que eu devo ter feito de ruim pra passar por isso?
Sinceramente não sei, talvez um dia eu tenha a resposta.
Quem sabe!

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Exames alterados

Olá!

Voltei pra continuar a saga da minha 2° e última fiv se Deus quiser =)
No post anterior falei de 2 exames que deram alterados.
O primeiro foi o fator V de leiden. Sinceramente nunca tinha ouvido falar disso, até olhei por cima pela internet alguma coisa falando a respeito mas não dei importância, jamais imaginei que euzinha pudesse ter. Engano meu, sou daquelas que pensa que as coisas só acontece com os outros rsrs

Fiz uma pesquisa no dr google, tentei deixar a explicação o mais simples possível.

Fator V de leiden:
É a mutação do fator V da coagulação do sangue.Esta mutação pode aumentar a chance de desenvolver um coágulo de sangue anormal (trombofilia), especialmente nas veias. A maioria das pessoas com fator V de Leiden não desenvolve nenhum coágulo. No entanto, algumas pessoas desenvolvem trombos que podem se tornar perigosos ou criar problemas de saúde crônicos.
Temos o fator v de leiden homozigoto e o heterozigoto.

Fator V de Leiden homozigoto
Quem herda 2 genes do fator V de Leiden tem a mutação em homozigose.
Um gene do fator V de Leiden é transmitido da mãe e um do pai.
Não existe nenhum fator V normal.
Isto acontece em menos de 1 pessoa em 100.


Fator V de Leiden heterozigoto
A pessoa que herda um gene do fator V de Leiden por um dos pais possui o tipo heterozigoto.
Ele tem um gene do fator V de Leiden de um genitor e um gene do fator V normal do outro genitor.
No corpo existe 50% de fator V de Leiden, mas está ausente nos restantes genes.
Isso ocorre em aproximadamente 5 pessoas em 100 de origem caucasiana.


O meu caso é o heterozigoto. Segundo a médica, ele não não impede a implantação mas pode causar aborto espontâneo e eclampsia. O tratamento pra mim será o uso de heparina na tec e após o positivo.

Células NK:
O segundo exame alterado foi as células NK. Esse resultado saiu na biópsia de uma histeroscopia que fiz em 2015 e só agora fui buscar.

As células NK (natural killer, ou assassinas naturais) são células do sistema imunológico encontradas no sangue e no endométrio. Muitos estudos demonstram que em algumas pacientes com histórico de abortos e falhas de implantação, tanto na gravidez natural como nos tratamentos de fertilização, havia um aumento de atividade dessas células no sangue periférico (acima de 10%) e no endométrio (acima de 15%).
O sistema imunológico tem participação muito importante nesse processo. Considerando que normalmente o ser humano é programado para rejeitar “corpos estranhos” dentro de si, por meio da formação de anticorpos, e o embrião é um corpo estranho dentro da mulher, são necessárias muitas reações imunológicas que fazem com que a mulher aceite que este organismo cresça sem problemas, sem que seu corpo o rejeite. Essas alterações imunológicas vêm sendo cada vez mais estudadas e parecem realmente estar envolvidas em muitos casos de abortos de repetição e falhas de implantação. Dentre essas alterações imunológicas estão as células NK.


Meu tratamento será o uso do intralipid que é um novo tratamento para casos de falhas de implantação e abortos recorrentes de causa imunológica, principalmente quando houver aumento das células NK (Natural Killer), tanto no sangue como no endométrio. Os efeitos desta medicação são semelhantes à imunoglobulina e o corticóide, mas os Intralipidios são financeiramente mais acessíveis.

Fan positivo: FAN são anticorpos contra os núcleos das nossas células. O FAN não é um único anticorpo, ele é um conjunto de anticorpos contra diferentes estruturas das células. Existem vários tipos de FAN, cada um deles associado a um tipo de doença autoimune diferente.
E para o fan usarei uma dosagem baixa de corticóide.

Nada comprova que alguma dessas alterações é o responsável pelo insucesso do tratamento, ainda não descobri o real motivo, porém não custa tentar novamente, dessa vez com uso de novos medicamentos e uma possível explicação do que pode ter acontecido.


O assunto é bem extensivo tentei resumir, deixei abaixo os sites que usei para pesquisas

Fonte:

http://www.fisioterapiaparatodos.com/p/problemas-de-circulacao/fator-v-leiden/
http://www.ipgo.com.br/intralipid-um-novo-tratamento-em-fiv-e-abortos-de-repeticao/
http://www.mdsaude.com/2009/05/o-que-e-o-fan-fator-antinuclear.html


Beijos e ótima semana!

domingo, 4 de junho de 2017

Consulta

Olá meninas!

Como prometi no post anterior, voltei pra continuar a saga.. rsrs
Marquei a consulta com uma nova médica de outra cidade, comprei as passagens e fui sozinha, marido precisava trabalhar então não pode me acompanhar.
Como tudo na minha vida é com emoção, aconteceu algumas coisas no caminho.. vou contar aqui pra relembrar depois. rsrs

A viagem foi feita na correria, não deu de sacar dinheiro pra levar, fui somente com cartão de crédito e lá eu me virava. Cheguei no aeroporto da cidade e fui acessar o app do celular pra chamar o uber e eis que o celular começou a dar um piripaque e reiniciava o tempo todo e não consegui mexer, peguei um táxi executivo, na hora de pagar cadê o cartão? Isso mesmo! Exatamente no dia que eu mais precisava eu simplesmente PERDI!! Expliquei p/ motorista, ele me entendeu e passou os dados da conta pra eu depositar o valor da corrida! (nunca passei por isso antes).
Cheguei no consultório, a médica precisava do exame antimulleriano, e novamente lá foi eu explicar que perdi o cartão, estava muito nervosa e não tinha como pagar.. Ela muito bondosa se ofereceu pra emprestar o $$ e também depositei o valor na conta dela.
Quando chegou nessa parte pensei que estava tudo resolvido, aí minha chefe do trabalho me enviou um whats dizendo que minha mãe estava desesperada atrás de mim (minha chefe sabia que minha viagem era segredo) ela enrolou minha mãe dizendo que eu  estava muito ocupada em reunião e não poderia atender... ufaa
E pra finalizar o dia, na volta pra casa o vôo teve muita turbulência, pegamos tempestade, relâmpagos, o piloto desviava de um lado para o outro.. foi uma loucura! Mas eu sobrevivi! rsrs

Voltando o assunto da consulta, a médica me pediu alguns exames diferentes como o fator v de leiden, protombina e alguns sorológicos.
Ela analisou os exames que eu já tinha, e sugeriu o uso de corticóide pelo resultado do fan positivo, fazer a injúria endometrial. Fiquei mais animadinha, pelo menos na próxima tentativa não seria igual as anteriores.
Saiu o resultado dos exames que ela pediu e apareceu no fator V um mutação heterozigoto e a dra sugeriu usar heparina após tec e após o positivo.
Conversando com uma amiga, ela me orientou a buscar a biópsia da histeroscopia que tinha feito em 2015 (nem lembrava mais que faltava esse resultado, já que a médica havia dito que estava tudo bem).
Assim eu fiz, e para minha surpresa, saiu algumas alterações nas células NK.
Bingo! Tava aí uma explicação que eu precisava, dei uma lida na internet sobre o assunto e descobri que essas células agem na defesa do organismo combatendo corpos estranhos, células ruins, etc. A médica sugeriu o uso do intralipid. Fiquei mais animada, dessa vez será tudo diferente, Tive respostas, o tratamento será com uso de novas medicações, agora consigo ter esperança.

No próximo post falo mais sobre esse exames alterados e conto o resto da história.

Beijos e ótimo início de junho =)


sábado, 6 de maio de 2017

Depois de 1 ano sumida...




Oláá meninas.. Olha só quem apareceu!?
Será que tem alguém por aqui ainda?? rsrs

Faz 1 ano que não escrevo mais nada, mas confesso que de vez em qdo dou uma espiadinha pra ver como andam as coisas.
Nesse 1 ano aconteceu tanta coisa, mas eu sobrevivi! rsrs
Foram coisas boas, coisas ruins, mas tudo serviu pra crescimento.

Vamos ao que interessa!
Sobre minha primeira FIV, congelei 3 blastos, transferi 2, beta foi positivo e depois regrediu..
Já o 3° embrião transferi e o beta negativo.
Sofri muito, ahh como sofri.. Chorei, esperneei, me deprimi, pensei que iria morrer, questionei com Deus, briguei com o mundo, me dei o direito de sofrer o meu luto, chorar a minha dor, viver minha tristeza, mas assim como a águia eu renasci, me restabeleci, levantei a cabeça e precisei me sentir pronta pra dar o próximo passo.

Depois do negativo retornei a consulta e o médico me disse "apenas" que é normal e que tinha que tentar de novo, meus exames estavam bons, se eu quisesse fazer algum podia fazer, mas não era necessário. Saí da sala pior do que quando entrei.
Em minha cidade temos apenas duas clínicas de reprodução humana, então marquei uma consulta na clínica concorrente, contei toda a história, levei todos os exames, conversamos.. conversamos.. e adivinha? a mesma opinião do médico anterior!
Fui pra casa triste, eu queria um médico que lutasse comigo, que se preocupasse com minha situação e investigasse a fundo. Um tratamento desses é caro e desgastante pra ficar tentando, e sinceramente não aceito uma fiv negativa sem motivos. Alguma coisa tem que ter.

Precisei me afastar 3 meses do trabalho, tirei esse tempo para descansar, relaxar, pensar com calma nas coisas e decidir o que faria dali pra frente.
Em janeiro desse ano recebi indicação de outra clínica que fica quase 500km de distância da minha cidade, comprei passagem e encarei.

Eu queria mudar de ares, cidade, médico, clínica e tudo que tinha direito. E eu mudei.

No próximo post continuo a história.

Um grande beijo!




sábado, 9 de abril de 2016

Aniversário do blog


Há 1 ano atrás comecei a registrar aqui meus momentos e sentimentos de tentante.. 
Engraçado que no começo pensava que teria só eu aqui, que teria assunto todos os dias, que ninguém iria ler, que usaria somente pra desabafo mesmo.. E de fato foi, nesse 1 ano esse espaço me serviu pra desabafar, chorar, gritar, sorrir, ler histórias que me emocionaram e encheram de esperanças, tive e recebo apoio emocional das "zamigas tentantes".. E o mais importante, daqui uns tempos (muito breve) servirá como uma lembrança boa, de como valeu a pena todo esforço e essa corrida incansável pra realização de um sonho! Quem sabe um dia meu filho (s) vai ler tudinho e saber o quanto ele já era amado, esperado, desejado pelos papais antes mesmo de vir ao mundo.

Obrigada amigas guerreiras por estarem comigo durante esse tempo!

Beijoss